Blog

counter-strike
Leonardo Gimenez Arnais
Estudante do 3º de Jornalismo Unilago

Com o mercado de jogos extremamente aquecido, apesar da crise, pesquisadores do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) aproveitaram o momento e analisaram mais de 300 jogos eletrônicos populares e constataram a presença de atos violentos como assassinatos, lutas e assaltos em 73% deles.

Com base nessa constatação, o psicólogo João Bosco Mansur diz que não é possível ser simplista, utilizando justificativas de causa e efeito. ‘‘A violência por si só não vem apenas de jogos, pode estar relacionada com a criação, estrutura familiar ou cultural de cada país, podendo se intensificar de acordo com o meio onde se vive’’, diz.

Para os gamers de jogos com temática violenta, essa teoria não se justifica. Henrique Spazini,18 anos, é jogador desde criança e entende que esses jogos não influenciaram sua formação de forma negativa. ‘‘Nunca pratiquei atos violentos por conta de jogos’’, justifica.

Crédito: Leonardo Gimenez Arnais